Nanã

Carinhosamente chamada de “vovó da Umbanda”, a mãe mais velha associada às águas paradas, à lama dos pântanos, ao lodo do fundo dos rios e dos mares. Homenageamos e oferecemos oferendas nos poços, mangues de água doce…

Seus filhos são ranzinzas, não gostam de coisas espalhafatosas e festas.

Saudação: Saluba Nanã

Sincretismo: Nossa Senhora Sant’ana

Dia da semana: sábado

Data festiva: 26 de julho

Cor da guia: lilás

Bebidas: não há

Comidas: não há

Ervas: Manacá, quaresmeira

Flores: Palma-lilás, sempre-viva roxa, flor de quaresma

Local de vibração: nas lagoas, nos pântanos, nas nascentes